III Edição do Forró na Chácara em Vicência!

III Edição do Forró na Chácara em Vicência!
Chácara Dornelas - 04 de Maio - 22 horas!

quinta-feira, fevereiro 29, 2024

Cedili inicia segunda etapa de reurbanização de comunidade em Lagoa de Itaenga, na Mata Norte

Por meio do projeto “Comunidade Meu Lugar – Envelhecer Bem”, o Centro de Desenvolvimento Integral em Lagoa de Itaenga (Cedili) iniciou neste mês a segunda fase da reurbanização da comunidade do Matadouro, na cidade de Lagoa de Itaenga. O local é conhecido pela vulnerabilidade e marcado por episódios de violência. A fase inicial do projeto já foi concluída com a entrega de uma praça, construção de muro de contenção, pintura de escadas e residências, além da instalação de novos postes e lâmpadas LED. Toda a mão de obra conta com a participação ativa dos moradores da comunidade.  Na segunda etapa do projeto, uma quadra será reformada, uma nova praça construída e mais cinco muros de contenção erguidos. Além disso, serão instalados 70 postes com lâmpadas LED e implementado saneamento básico em todo o perímetro. Avaliada em R$ 130 mil, a praça tem previsão de conclusão para 1º de maio, 60 dias após o início das obras. O projeto tem sido viabilizado pelos recursos financeiros do Nubank, por meio de renúncia fiscal do imposto de renda, destinado ao Fundo Municipal dos Direitos do Idoso de Lagoa de Itaenga.

Segundo Eudes Morais, Coordenador Geral do Cedili, a comunidade tem demonstrado um envolvimento significativo. “Temos contado com mão de obra comunitária. Alguns, dois ou três pedreiros, ajudantes e serventes, estão diretamente envolvidos no projeto, na forma de contratos de trabalho, enquanto os demais contribuem voluntariamente”, afirmou. “A gente tem feito alguns mutirões aos sábados, para que a comunidade possa intervir, porque muitos deles trabalham durante a semana. E também alguns aparecem na obra para carregar um tijolo, uma pedra, um carro de areia”, continuou. A idosa Izabel Maria da Paz, de 67 anos, disse que não pode ajudar nas obras, pois tem alguns problemas de saúde. Mas nem por isso ficou de fora. “Sirvo café, bolacha, água e deixo minhas portas sempre abertas para os meninos que estão trabalhando lá”, disse ela. “Às vezes vou, carrego tijolo, carro de areia, faço massa”, acrescentou o aposentado João Inácio da Silva, de 75 anos. Além de revitalizar a comunidade, o Cedili também irá promover uma série de oficinas para abordar diversos aspectos da vida cotidiana, abrangendo saúde física e mental, bem-estar financeiro e engajamento social. Estas oficinas envolverão ativamente 80 idosos. Paralelamente a estas sessões educativas serão organizadas atividades de lazer como jogos e passeios, incentivando o convívio social entre os idosos e facilitando a promoção do envelhecimento saudável.